• Dra Debora Rosa

Absorvente descartável - ​Toxinas e agrotóxicos nos absorventes

Antigamente nossas sábias avós usavam o paninho para coletar o sangue menstrual, nossas ancestrais menstruavam juntas na tenda da lua vermelha ofertando seu sangue diretamente para terra para fertilizar a terra e ter boas colheitas, até que a revolução industrial chegou para nos adoecer. Entre vários venenos vendidos em caixinhas como sinônimo de praticidade e solução de todos os problemas, vieram os absorventes descartáveis. Além de demorar muitos anos para se decompor na natureza, 10mil absorventes na vida 150kg, eles trazem diversos problemas de saúde para a mulher. Como a irritação e alergia na vulva, se absorvente interno absorve toda a umidade natural da vagina desregulando o PH e predispondo a infecções vaginais, o algodão alvo dos absorventes passam por processos de clareamento com produtos tóxicos, se pensarem no algodão natural ele não é branquinho, é bege, que aumentam o fluxo menstrual, claro a indústria precisa vender mais absorventes, porque não fazer aumentar o fluxo menstrual da mulher e ela comprar mais e mais absorventes? E também aumentam a cólica, perfeito agora, indústria farmacêutica também agradece porque lucra na venda dos remédios, é essa a indústria que temos da doença.

As matérias primas principais são o petróleo (plásticos) e a árvore (celulose do algodão).O rótulo dos absorventes descrevem a seguinte composição: camada interior (poliolefinas, petrolato e óxido de zinco), centro absorvente (celulose de madeira absorvente com gel absorvente, rayon, poliéster), camada exterior (polipropileno), adesivo, perfume, papel protetor do adesivo (poliolefina impressa) e das abas (papel impresso), embalagem individual (polietileno) e loção (petrolatos, álcool de benzilo, óxido de zinco, glicerina, niacinamida, pantenol, extrato de camomila, isetionato de hexamidina). Além desses declarados, derivados de petróleo, muito plástico, rayon, existem também os produtos químicos utilizados em todo processo de fabricação desde a plantação do algodão até o produto final embalado. Vamos falar sobre essas substâncias tóxicas encontradas nos não tão inocente assim absorventes descartáveis, como a idéia vendida pela indústria, se referindo a liberdade, mulher sempre livre e moderna.

Vamos esmiuçar as substâncias tóxicas ocultas nos rótulos, encontradas nos absorventes descartáveis, que podem causar câncer, infertilidade, alterações menstruais, desregulação endócrina, erupções na pele, infecções, inflamações, cólicas, odor, endometriose e até morte.

Dioxina, existem 17 tipos e os 3 piores estão no absorvente. Faz sangrar 40% a mais, pq imita a contração uterina. Cria dependência química, e qd para de usar o útero acha que tem que se contrair de novo e aumenta cólicas. Tb pode causar endometriose. Pode causar um crescimento anormal dos tecidos nos órgãos reprodutivos. Como os absorventes ficam super brancos e com aparência de “limpos”? O algodão é bege naturalmente, e na indústria sofre processos de branqueamento com diversas substâncias químicas, como o cloro, e essa reação produz um metabólito chamado Dioxina. Este está associada a pertubações hormonais e auto imunidade.

Surgiu como arma química na guerra do vietna, e depois colocaram nas plantações e matou mt gente. Produto mais forte que o homem já criou, mais forte que a bomba atômica. Produzidas depois que queima plásticos. O EPA (agência de proteção ao meio ambiente) defende que não há um nível seguro para exposição a dioxina. Alguns estudos sugerem que mesmo traços de dioxina podem causar crescimento anormal do abdômen e órgãos reprodutivos, crescimento celular anormal em todo corpo resultando em cânceres, supressão do sistema imunológico e disrupção hormonal.

Amianto – aumenta fluxo menstrual

Indústria põe substancias que aumentam o fluxo para aumentar o fluxo e vender mais absorventes e lucrar. A indústria cria o problema e te vende a solução. Proibida em muitos países, aumenta o fluxo menstrual.

Fitalatos – tampões vaginais perfumados, disruptores endócrinos, se liga a receptores hormonais e bloqueiam a ação dos hormônios naturais

Rayon de viscose – Usado para aumentar a capacidade de absorção de absorventes. fibras sintéticas, criam ambiente para staphylococus. Fibra manufaturada derivada da reconstituição da celulose, a principal origem é natural mas não encontrada na natureza, pó de serragem. Contato prolongado pode provocar sd do choque tóxico, sintomas de febre, erupçao cutânea, pressão baixa, vômitos, diarreia e convulsões, os tampões levam aviso que deve ser trocado em no máximo 8h.

Mercurio – subproduto do processo de branqueamento, não é adicionado diretamente, mas pode ser encontrado nos absorventes. Danos do sist. Nervoso, imunológico e digestivo.

Glifosato – Os absorventes contém algodão e plástico. O plantio de algodão atrai muitas pragas e para ser mais lucrativo seu cultivo, a agroindústria utiliza grandes quantidades de agrotóxicos e algodão geneticamente modificado em laboratório, o algodão transgênico. Boa parte do algodão da América Latina é transgênico, resistente ao glifosato, e tratada com agrotóxico glifosato, um dos piores agrotóxicos disponíveis e o mais utilizado no Brasil, este pesticida estão em 85% dos absorventes não orgânicos (13mcg/kg). Tb foram encontrados em gazes, cotonetes e lenços umedecidos. 62% contém ácido AMPA, seu metabólico ambiental. Pesquisas da Universidade Nacional de La Plata, na Argentina detectaram o glifosato nos absorventes descartáveis.

O algodão é o quarto cultivo que mais consome agrotóxicos no país. Esse pesticida e herbicida conhecido pelo nome comercial Roundup é carro chefe da multinacional americana Monsanto, líder do setor de sementes transgênicas, fusionada com a empresa farmacêutica alemã Bayer, foi classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2015 como potencialmente cancerígena. Curiosa a fusão da indústria que vende a idéia da cura de doenças que é a farmacêutica com agronegócio de transgênicos e agrotóxicos, juntas se converteram num gigante mundial com volume de negócios anual de mais de US$25 bilhões e quase 140mil funcionários, controlam juntas cerca de 25% do mercado de pesticidas e mais de 90% das vendas de sementes agrícolas geneticamente modificadas transgênicas.

Fragrâncias químicas, perfumes e neutralizantes de odor – são compostos altamente químicos contém corantes artificiais, cuja composição não precisa ser divulgados nos produtos, causam infecções por fungos e bactérias, risco de câncer, danos reprodutivos

Pesticidas e Herbicidas – pulverizados durante a produção de algodão usados na fabricação podem entrar na corrente sanguínea e causar câncer.

Parabenos e Furanos

Material sintético – Plásticos não são rspiráveis e deixam a vagina quente, úmida, propciando proliferação de fungos e bactérias. Bloueia a umidade e a temperatura, levando ao crescimento de leveduras e bactérias.

Ftalatos – plastificantes, dão acabamento suave aos tampões e podem causar múltiplos danis nos órgãos.

Questão ambiental. 5 toneladas de lixo por dia para mãe natureza. Por mulher 10 a 15mil absorventes ao longo da vida.

Síndrome do choque toxico, 1 a cada 100mil mulheres, 70% morrem, metade dos casos é por causa do absorvente interno, por S. aureus.

BPA e BPS – são químicos plásticos que podem influenciar no desenvolvimento embrionário e relacionados a problemas do coração e câncer. Phtalates, presentes nos aplicadores de tampão são conhecidos por desregular a expressão genética e DEHP pode danificar múltiplos órgãos.

Poliéster, adesivos, polietileno (PET), polipropileno e propilenoglicol – substâncias contaminantes que podem causar disrupção hormonal, câncer, defeitos embriogênicos e infertilidade.


#absorventedescartavel #absorveneinterno

28 visualizações
Consultórios
Consulta Online
Rio de Janeiro, Leblon
São Paulo, Higienópolis
Contato
(21) 99786-0221
Redes Sociais
  • Instagram
  • YouTube
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now